Eduardo BANANINHA

Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!
Gable.jpg Este artigo é coisa de conservador!

Ele(a) é a favor da Ditadura Militar, dos direitos dos cristãos e da família tradicional de 1920.
Provavelmente deve ser algum(a) careta preconceituoso(a) dos tempos da sua avó.
Viva Ronald Reagan!



Cquote1.svg Você quis dizer: Mais imbecil do que o pai? Cquote1.svg
Google sobre Eduardo Bolsonaro
Cquote1.svg Fumava maconha com a gente no posto 9, antes do pai dele colocar ele na política Cquote2.svg
Forfun sobre Eduardo Bolsonaro

Nojo de vagina (ou pênis, já que é assexuado)
Eduardo-bolsonaro-13112018182908343.jpeg
Tá com medo, petista safada?
DePUTAdo federal
Caçador de esquerdistas
Fritador oficial de hambúrgueres nos Estados Unidos
Partido PSC (2014~2018)
PSL (2018~atual)
Nível de honestidade Baixo, ruim, pobre... Carcamano
Perfil
Nome completo Eduardo Micropênis Bolsonaro
Nascimento 10 de julho de 1984
Bandeira do estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Bandeira do Brasil Brasil
nomeacompanhante Patrícia Lelis (trocou ele por um cubano)
Heloisa Wolf
Partido PSC (2014~2018)
PSL (2018~atual)
Religião Ustralino
Profissional
Profissão Advogado e policial federal escrivão da polícia
Escândalo Tentou fechar o STF com um cabo e um soldado / perdeu a mulher pro Fidel Castro
Dados Pessoais
Sexo link={{{3}}} Masculino
Nível de Inteligência Icon 00 percent.png O mesmo do pai.
Vícios Humilhar petistas enquanto frita hambúrgueres
Preferências
Livro Nuvola apps bookcase.svg A Verdade Sufocada, de Carlos Brilhante Ustra
Prato Hamburgão que ele mesmo fritou, no frio do Maine
Filme Tropa de Elite
Time Botafogo

Eduardo Costa e Silva Salnorabo (Rio de Janeiro, 10 de julho de 1984), também conhecido como Dudu, Bolsokid ou 03, é o membro mais novo do clã Salnorabo, família queridinha da galera neopentecostalconservadora a qual irá ditar comandar o Brasil nos próximos anos.

HistóriaEditar

Eduardo teve uma infância feliz, vivendo numa grande casa comprada com dinheiro público no subúrbio carioca. Foi educado nos moldes da família Salnorabo, aprendendo desde guri a atirar em comunistas, perseguir petistas, mitar com professor de história na escola, apedrejar maconheiros, quebrar lâmpadas na cabeça de gays, ser uma negação na cama e outras várias tradições familiares passadas de geração em geração. Desde cedo parecia muito promissor, principalmente pelo seu porte atlético bem desenvolvido, alcançando um metro e oitenta de altura com apenas 10 anos, dando indícios de que seria um grande militar e, ou modelo da capricho, perseguidor de esquerdopatas vagabundos no futuro.

 
Eduardo aprontou várias quando era mais novo

Porém, na época do bug do milênio, Eduardo conheceria algo terrível que mudaria sua vida: as boybands. Grande sucesso na época, por razões as quais ninguém entende até hoje, músicas de grupos como Backstreet Boys, N'Sync e Westlife acabaram penetrando no cérebro do jovem Salnorabo e distorcendo suas ideias, fazendo com que o mesmo não apenas passasse a gostar de boybands como também a se vestir como um. Adotou um cabelinho "pega-rapaz" com franjinha loira e roupas de gosto duvidoso que mais tarde seriam surrupiadas pelo movimento emo. Não fosse isso bastante, Eduardo aderiu a drogas mais pesadas como o comunismo e passou a dar rolês aleatórios com a galera do Forfun, inclusive aparecendo em um de seus clipes.

Aos poucos, porém, foi criando juízo à medida que ia perdendo os cabelos. Formou-se pela UFRJ em direito, o curso preferido de todos os playssons e filhinhos de papai brasileiros. Mas ao invés de montar escritório de advogado e ir trabalhar, como manda o figurino, resolveu ficar em casa estudando pra concurso público. Depois de muito estudar, acabou finalmente passando num concurso pra ser policial federal. Policial não, escrivão de polícia. Aquele típico funcionário de delegacia que apesar de não ir pra rua e só fazer a parte mais leve do trabalho, adora ficar se gabando e metendo bronca de durão, não passando no final das contas de um puta baba-ovo dos militares.

Carreira políticaEditar

Após muito tempo puxando saco dos praças, Eduardo estava qualificado para ingressar nos negócios da família Salnorabo: mamar nas tetas do governo. Em 2014 foi eleito deputado federal quase no limite, conquistando o voto de mais de 8 mil 80 mil neoconservas coxinhas da classe alta do estado de São Paulo. No Congresso, ficou famoso pela oposição ferrenha que fez à esquerda, além de criar projetos de lei que beneficiem toda a população militar.

Em 2018, foi reeleito com mais de 1 milhão de votos, batendo o recorde de deputado mais votado e continuando a tradição paulista iniciada por Tiririca de elegerem palhaços como recordistas de votos. Mas Dudu não quer parar por aí: ele agora pretende ser embaixador do Brasil nos isteites. Bom, mal-qualificado não podemos dizer que ele é, afinal sabe falar inglês e frita hambúrguer muito bem.

PosiçõesEditar

 
"Não faremos negócios com comunistas...exceto se esses comunistas forem mais ricos que nós, é claro!"

Eduardo é um ferrenho defensor da porte e posse legal de armas, sem nenhum empecilho. Pretende substituir o "Bolsa Família" pelo "Bolsa Fuzil", programa no qual cada fazendeiro receberá uma AK-47 para se defender dos malditos índios e boias-frias que tentam invadir sua sagrada propriedade privada.

Conservador nos costumes, mas liberal na economia, Salnorabo-03 defende o livre mercado e a privatização de todas as empresas estatais no Brasil. Luta com unhas e dentes pelo estado mínimo para todos, exceto si mesmo, que graças ao estado máximo já aumentou seu patrimônio em mais de 400% em apenas quatro anos como parlamentar.

É tão avesso ao comunismo que tentou criminalizá-lo, mas esbarrou nas bancadas petista e psolista, seus grandes e maiores inimigos. Enquanto esse tão sonhado projeto não sai, dedica-se a coisas mais importantes como colocar o nome de Enéas e Ayrton Senna nos Heróis da Pátria.

É a favor da meritocracia, apesar de só ter chegado aonde chegou por causa do sobrenome.

Vida pessoalEditar

Eduardo se diz evangélico, mas acima de tudo é ustralino e satânico, apesar de o próprio demonio recusar sua alma, por isso está careca e com 10.000 anos ao contrário do que seus amigos pensam. Antes de entrar para a política tentou, sem sucesso, construir com sua família a 1º Igreja Ustralina do Rio de Janeiro, cujo templo seria localizado na antiga sede do DOI-CODI. Os cultos seriam ministrados pelo seu pai, Jair, que leria passagens de "A Verdade Sufocada", contaria histórias sobre a gloriosa Revolução de 64 e livraria comunistas das garras do demônio vermelho por meio de purificações via pau de arara e outros métodos de tortura.

Sempre que pode, Eduardo viaja, e seu principal destino é a terra de Tio Sam, onde ele sempre tenta encontrar algum republicano importante para lamber as bolas e conseguir apoio ao seu papai Jair. Nunca visitou e nem quer por os pés em Cuba, não por causa da ditadura castrista, mas pra não lembrar do chifre que levou da namorada com um cubano, motivo pelo qual (pelo menos foi isso que ele falou, embora os motivos reais na verdade fossem bem pequenos) passou a odiar perdidamente o comunismo a ponto de querer criminalizá-lo.

É grande usuário das redes sociais e quando não está "trabalhando", passa muito de seu tempo no Twitter, Facebook e Instagram, onde posta com frequência e curte postagens que lhe interessam, como a foto do Lula de sunga na praia. 'É, não adianta, ele não o quer!'

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Eduardo Bolsonaro é mais um dos
POLÍTICO$ DO BRA$IL

E cria gado fantasma.